terça-feira, 7 de outubro de 2008

PENSANDO

Sempre acho que namoro, casamento, romance tem começo, meio e fim. Como tudo na vida.

Detesto quando escuto aquela conversa:
- Ah, terminei o namoro...
- Nossa! Quanto tempo?
- Cinco anos... Mas não deu certo... Acabou.
- É não deu...

Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou. E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.

Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.

Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro?

E não temos esta coisa completa. Às vezes ele é fiel, mas não é bom de cama. Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel. Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador. Às vezes ela é malhada, mas não é sensível. Tudo, nós não temos.

Perceba qual o aspecto que é mais importante e invista nele.

Pele é um bicho traiçoeiro.

Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia. E às vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona...

Acho que o beijo é importante... E se o beijo bate - se joga... Senão bate - mais um Martini, por favor... e vá dar uma volta.

Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra. O outro tem o direito de não te querer. Não lute, não ligue, não dê pití.

Se a pessoa está com dúvida, problema dela. Cabe a você esperar ou não. Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.

O ser humano não é absoluto.

Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta. Nada de drama!

Que graça tem alguém do seu lado sob chantagem, gravidez, dinheiro, recessão de família? O legal é alguém que está com você por você. E vice versa.

Não fique com alguém por dó também. Ou por medo da solidão. Nascemos sós. Morremos sós.

Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado. E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.

Tem gente que pula de um romance para o outro. Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?

Gostar dói! Você muitas vezes vai ter raiva, ciúmes, ódio, frustração. Faz parte.

Você namora outro ser, outro mundo e outro universo. E nem sempre as coisas saem como você quer...

A pior coisa é gente que tem medo de se envolver. Se alguém vier com este papo, corra, afinal, você não é terapeuta.

Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.

Na vida e no amor, não temos garantias.

E nem todo sexo bom é para namorar. Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar. Nem todo beijo é para romancear.

Nem todo sexo bom é para descartar... Ou se apaixonar... Ou se culpar.

Enfim... Quem disse que ser adulto é fácil?

Enviado dia desses pela Vê

Um comentário:

saulo bittencourt disse...

Rapai, é o seguinte: toda escolha feita por pessoas adultas é plausível. As pessoas podem se jogar em qualquer relacionamento, desde que por vontade própria, conscientemente. O problema se instala quando envolve terceiros que nada têm a ver com o pacto firmado entre os eleitores. Por exemplo, quando do acordo firmado entre os dois surge um filho. O filho não teve opção de escolha. A garota pode escolher um marginal para parceiro; o carinha pode escolher uma prostituta de carteirinha para cônjuge. Ambos estão conscientes do que pode ocorrer; o filho dessa união, porém, não sabe nada. Aí é que surge o problema. Quando um homem e uma mulher fazem juramentos entre si, estão assinando uma sentença para eles; e só, somente-só, para eles. Tãoligados? E não é difícil entender o porquê de tantos filhos desajustados. Os filhos, em muitos casos, representam punição a uma opção malfadada.